quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

BAILARINA Já nem sei o que me dá Tristeza ou alegria Se é medo ou covardia traçar o meu peito nas cordas do amanhã Ou ficar desse jeito Esperando a noite Que se faz aflita Quando vem o encontro no escuro da manhã E a força muda Que não fala, cala Feito bailarina Nesse puro afã De ordenar o tempo Na arte de se dar.

Nenhum comentário: