quinta-feira, 1 de outubro de 2009

A rosa e a luz
















Solto esta rosa porque almeja voar

O desbroto foi forte e alcançou o mar
Uma torrente de desejos desaguou

Causando acidentes, fazendo-se flor

Atiçou caules, brotos e pétalas

Banhou-se em chuva de lágrimas

E arrancou feridas escondidas

Trazendo assim, a lucidez da luz.

Um comentário:

Vera Lúcia Bezerra disse...

... Vêee poeta! ...
Se fosse Flor Seria de lótus
Mas como voa
É beija flor...
- Lança-se ao amar
É sereia!
Banhou-se em teus olhos
É MENINA!

E esse barulho tambor
Eriçando as cordas do violão?
Ah, poeta!
Tem jeito não
É um acervo, acerte o tom
De um acooorde canção
É SI&SOL
Escorregando na soberba
dos dedos
Encontrando bocas
Cuspindo bolhas em teus cantos
Salivando na garganta...
É láaaaa embaixo
Prumo mergulho...
Shuááa...
É um pulo, solo mio, e ao surdo
Canteiros de refrões...

http://deveraspoesia.blogspot.com/2009/10/vera-rosa.html